17 abril 2008

É nóis




O retoque da capa acima - com a foto original lá no alto - é outra história, contada em detalhes pela Franka (resumindo, para arrumar a luz estourada, o diagramador, com Photoshop porco, deixou o piso de madeira torto...).

Mas o assunto aqui é outro: eu, lógico! Não sei se todos leram o comentário da Annima, mas saiu uma citação ao Blog do Alencastro na aU 169 - acho que eles não aguentaram a pressão, pois há poucas semanas eu cobrei que a mídia nos ignorava... Está lá na página 16, na seção Fatos e Opinião (aquela que faz uma pergunta para 3 ou 4 pessoas e publica as respostas junto com o retrato do RG dos fulanos). Na carona da polêmica do que disse o Montaner na própria aU, a questão colocada pela editora era: "O que é crítica de arquitetura?"

Para responder a acalorada incógnita, perguntaram a alguns iluminados de plantão: Roberto Segre, Ruth Verde Zein, Carlos E. D. Comas, Edson Mafhuz e Alberto Xavier. Na resposta da Ruth ela recusa-se a responder. Para ela, o que a revista espera de sua resposta "é a leviandade das opiniões apressadas mas espertinhas". Por falta de espaço, resolve não definir a tal crítica. E diz ainda que fora da academia, o ar está poluído. Cofi, cofi, cofi!!! Para Mahfuz, a crítica é aquilo que esclarece e tem de ser feita por quem entende, "idealmente, um arquiteto". E afirma que o que se faz agora é superficial.

Já Comas diz que crítica é avaliação, seja ela qual for, mas a que interessa é a que é "fundamentada". E diz que ela existe no Brasil sim, obrigado. Mas não esclarece aonde nem quem é que faz (ficou com vontade de dizer "hei, olhem para baixo, eu estou aqui..."). Xavier, o mais sensato e realista, afirma que ela é um "elemento norteador, capaz de discernir valores, gerar debate, avaliar significados e indicar caminhos". Diz ainda que "carecemos de uma tradição crítica" e clama pela presença dela em mídias gerais. Afirma que restam as revistas da área e que, mesmo assim, o enfoque delas não é crítico. Eureka. E conclui que a nossa relação entre crítico e criticado é provinciana, que gera "ressentimentos e até inimizades. Daí a cautela e, às vezes, o próprio silêncio".

Contudo, na página de abertura da matéria, com maior texto, há o depoimento do Segre - naturalmente, o meu preferido. Primeiro pois ele é o único a polemizar com Montaner - os outros, fogem do assunto. Segundo Segre, a crítica deveria estar nos jornais para uma discussão ampla com a sociedade. Por isso, acha que o espanhol errou ao dizer que aqui não existe crítica pois não há avaliações de fôlego nos livros e nossos iluminados só fazem "ensaios". Depois, pois ele dá nome aos bois: começa a citar uma série de aventureiros esquecidos por Montaner - entre eles, esse pobre coitado blogueiro. Vamos as palavras do nosso novo oráculo: "no Brasil Montaner reitera a importância dos críticos tradicionais, mas não compreende que é maior a transcendência de jovens como Otávio Leonídio quando escreve na revista Mais!, ou Fernando Serapião, com suas inéditas revelações publicadas na revista Piauí; além da fina crítica do Blog do Alencastro." Como diria o Francis, waall!!!

Não saciado, Segre vai além: "são eles que formam a opinião na cultura social arquitetônica e não os livros especializados". Waall!!!

Gostaria até de ter estatura para rebater o Segre, e dizer que "não, eu não sou o cara, que eu não sou tão importante assim", mas fazer o quê? O sujeito é uma sumidade: já viram o currículo dele? Doutor Honoris Causa aqui, Doutor Honoris Causa lá... Eu, heim. Deixa para lá: não vou engrossar essa polêmica com um monstro sagrado destes...

Marcadores: , , , , , , , , , ,

43 Comments:

Anonymous Anônimo said...

sumidade...

10:02 PM  
Anonymous franka said...

é nóis.
hehehe.

12:52 AM  
Blogger Ricardo said...

Pois é, a questão é você por a cara pra bater. Não é protencionismo, o que deve ser feito deve ser feito, mesmo que gere essas tais inimizades, o que ao meu ver é ridículo pois nenhum arquiteto é intocável. E parabens Alen.

5:48 AM  
Anonymous Anônimo said...

acho que o Segre preferiu uma opinião apressada e espertinha...

11:55 AM  
Anonymous Alberto said...

Ah, a crítica. Tanto espaço, tanto a se dizer..e nada é dito.

1. Sobre a questão da foto, convenhamos, esse é o jeito que as coisas são. Fotos são "tratadas" em qualquer mídia sobre qualquer assunto. Compramos mentiras? Uau, que novidade. Quando a distorção melhora o projeto, ninguém fala nada.

2. "Avaliação fundamentada". Tão óbvio, tão simples, e tão certo. Por isso mesmo, a crítica pode,e frequentemente está do lado de fora da quadra dos Acadêmicos do Butantã.

3. "Ironia crítica" é um termo interessante. Quase um oxímoro, já que a ironia por definição apenas insinua a verdadeira intenção do que se diz, enquanto da crítica se espera uma afirmação clara baseada em uma análise fundamentada. MAS É UM TERMO PRECISO, porque revela que a crítica pode existir - com consistência - mesmo se não for da forma juramentada com espaçamento de 1,5 entre as linhas.

4.Desnecessário ainda dizer o quão constrangedora é a resposta de Ruth Verde Zein?

5."Fofocas Anônimas & Maledicências Gratuitas" pra não falar que não se aproveita nada da resposta dela, no dia que você quiser fazer um blog conjunto, ele pode ter esse nome, que tal?

6. E assim, tudo se move, e nada sai do lugar mais uma vez no assunto crítica. Talvez o Segres tenha razão que a crítica esteja fora do lugar; que não esteja sendo produzida da forma como deveria. Mas quando vejo os críticos não fazerem crítica de arquitetura -ou seja, das obras em si - para emoldurar suposições do que será produzido em um quadro que combine com sua ideologias, como o Curtis fez (e não sei se necessariamente "faz", mas aqui abaixo pra mim está claro que fez)então realmente vejo que o mercado está aberto a blogueiros, comentadores, arquitetos e interessados em geral em avaliar arquitetura de forma fundamentada - e não fazer dela um sistema ideológico filosófico onde se analisa tudo (diletantemente), menos a própria arquitetura.

PS: Parabens pelas citações.

12:59 PM  
Blogger Alencastro said...

obrigado, anônimo

1:08 PM  
Blogger Alencastro said...

É nóis dois, Franka!

1:08 PM  
Blogger Alencastro said...

Concordo, Ricardo.

1:09 PM  
Blogger Alencastro said...

Será, anônimo? Eu estava achando a opinião dele tão sensata...

1:10 PM  
Blogger Alencastro said...

Oi Alberto, novamente a crítica, não é?

1. Retocar fotos requer um grande cuidado. Lembra do história da moça na Playboy sem umbigo? O problema é esse: mexer no umbigo das pessoas...

2. Concordo

3. Concordo

4. Concordo

5. Qualquer dia fazemos - mesmo que seja só para aproveitar o nome, que é ótimo!

6. É isso ai, o mercado é nosso!

PS: Um luxo só... agora falta só a Domus curvar-se...

1:18 PM  
Blogger Alencastro said...

Agora que eu consegui postar a foto, fiquei olhando e reparei outras coisas. Olhem só:

1. Apagaram um buraco atrás da chamada de capa;

2. Modificaram o tom do concreto;

3. Apagaram o reflexo da luz no forro;

4. Além do alinhamento, modificaram o tom do piso;

5. Deixaram mais evidente os buracos em cima e vidro verde mais forte;

1:29 PM  
Anonymous VissottoJr said...

Li o post e de imediato me veio a lembrança do filme "Quase Famosos", aquele em que um garoto é chamado pela revista de música Rolling Stones para acompanhar uma banda (fictícia) em turnê. Antes de sair com eles ele se encontra com um crítico maldito do qual é fã(Phillip Seymor Hoffman, ótimo) que diz que o pior que pode lhe acontecer é ficar amigo da banda e, assim, perder o foco da crítica. Bem, acho que isso já esclarece muito quanto a nossa crítica. Aliás, o garoto nem músico é...

2:18 PM  
Anonymous Alberto said...

Neighbor,continuando nossa conversa, gostaria da sua opinião sobre os projetos que estão no meu ultimo post.

7:19 PM  
Anonymous koob said...

Ha tempos leio esse blog....
Antes eram 4 , 6 , raramente ultrapassavam 10 comentários!!!
O ultimo ja esta com 43....
Sua fama ta expandindo hein Alencastro...
Nao se fala em outra coisa nos corredores do Mackenzie!!
Ja pode começar a cobrar publicidade no blog...
Parabéns , nao passo uma semana sem ler seu blog.
Parabéns mesmo.

12:33 AM  
Anonymous carlos said...

nossa, quanta incompetência, né alencastro?
agora, com todo respeito, acho os blogs um espaço legal pra discutir arquitetura. mas dizer que é crítica, é exageiro. O Segre tá muito entusiasmado.

3:45 PM  
Anonymous Anônimo said...

Caro Alen,
se - nos dias atuais - não faz o menor sentido pensar em arquitetura, o que devemos esperar da crítica?
Beira a debilidade externar juízos sobre a escolinha na vila madalena ou sobre um bangalô miesiano no meio do mato em uma sociedade em colapso por causa da falência da idéia de cidade. A representatividade do arquiteto na sociedade está abaixo da linha da crítica.
B

11:17 PM  
Anonymous Kiko said...

Num encontro de arquitetos de final de semana (a.k.a. churrasco. E o ponto pacífico foi: independente do meio em que se faz a crítica, ou quem a faz, ela não existe no Brasil. Ou é a rara exceção pois fazer crítica é CRITICAR, o que não ocorre. Já viu a aU ou a Projeto colocarem um projeto ruim? Já ouviram falar de um arquiteto cuja obra está decaindo? Pois é, eu também não. O que ocorre é uma simples descrição vaga do projeto (Volumes assimétricos colorem a paisagem; Jogo de luz e curvas altera paisagem; Paisagem é prenchida por linhas ordenadas, você escolhe) que só serve para você falar "ah, bonito" ou "ah, interessante" ou mesmo "não gostei". Mas a revista, em si, não dá nenhuma dessas diretrizes de forma clara. Algo como, se quer crítica, critiquem vocês, eu não vou fazer este papel. Assim não dá.

2:46 PM  
Blogger Fernando Zanforlin said...

Caro Alencastro,vejo o seguinte: Acadêmia só com tapete vermelho.
Os demais mudam suas linhas críticas conforme os ventos.
Raro alguns, que mesmo na calmaria mantêem seus barcos no rumo traçado.
Obrigado pela atenção.
Tenha meu convite para visitar-me n'O contrário.
ab

7:02 PM  
Anonymous Anônimo said...

opiniao de fotografo:
essa foto já foi ligeiramente distorcida pq provavelmente houve o uso de uma grande angular. Fora isso, a luz do fundo atrapalhou, nao deu um efeito legal...parecia algo como 'uma luz no fim do tunel'.
além disso quem tratou a foto fez um péssimo trabalho e depois de tantos comentários em ambos os blogs ele já deve estar desempregado.

11:36 AM  
Blogger Alencastro said...

É mais ou menos isso ai, Vissotto...

12:26 PM  
Blogger Alencastro said...

Olha, Alberto, quando vi os projetos dos meninos e depois do holandês espertão, lembrei-me também da proposta acadêmica do Paulinho. Se eu fosse pscólogo, iria afirmar que "arquiteto gosta de brincar de Deus". Como não sou, digo que o curioso é o vazio do Paulo versus o cheio do Koolhaas. Ou o nada versus o dinheiro. Ou o "eu posso" versus "eles podem". E, mais curioso ainda, é que os jovens ficam no meio do caminho: mezzo Koolhaas, mezzo Paulinho.

12:31 PM  
Blogger Alencastro said...

Você diz isso, caro Koob, só por que é meu amigo...

Agora, publicidade? De quem? Para esse público? Só se for da Papelaria Universitária ou do Bar do Zé...

12:34 PM  
Blogger Alencastro said...

Grande exagero, Carlos.

12:35 PM  
Blogger Alencastro said...

Concordo - em parte -, caro anônimo. Você mesmo acaba de fazer uma crítica. Ou seja, a crítica em sí pode existir independente da qualidade da arquitetura. Podemos viver em uma época com boa arquitetura e má crítica. Ou vice versa. Ou ainda com boa arquitetura e boa crítica. O problema é quando a crítica e a arquitetura não prestam... lhe parece algo familiar?

12:40 PM  
Blogger Alencastro said...

Olha Kiko, eu já vi sim a aU e a Projeto publicarem projeto ruim. Lógico, sem crítica alguma.

O problema é mais em baixo. As revistas de arquitetura possuem um pecado original: por uma questão histórica - o fato de terem nascido atreladas e em defesa do modernismo -, elas não fazem crítica. Estou falando do ponto de vista internacional: aqui não se cria nada! É como se elas fossem o refúgio do arquiteto - quase um parque temático - onde o mundo é perfeito.

Assim, dos dois lados - da publicação e dos arquitetos - não há uma tradição crítica. Quando eventualmente algo dá errado (e surge uma crítica...) é um mal estar generalizado.

12:48 PM  
Blogger Alencastro said...

Oi Fernando: nem sempre é bom manter o barco no rumo traçado... Perde-se ao acaso pode ser muito interessante.

PS: certa feita, tive um encontro interessante com o Richard Long. Outra época, outros interesses...

1:35 PM  
Blogger Alencastro said...

É, caro fotografo: faltou qualidade na foto e na arte... Agora, dizer que o cara está na rua por causa de blogs? Imagina só... ninguém lê blogs! Quem escreveu o seu comentário, por exemplo, fui eu mesmo...

1:39 PM  
Anonymous Annima said...

Alencastro, meus parabéns!! Vc merece!

E não ligue para os invejosos.

Seu blog é para muitos um espaço didático, informativo e altamente "viciante".
Causa dependência.
Agora, uma pergunta: vc se surpreenderia muito se fosse convidado para escrever algum artigo para uma de nossas revistas especializadas em arquitetura?

Ou, talvez, para participar da sessão "entrevista", com direito a foto,currículo e tudo?

Hum... dúvida cruel. Só resta isso para que vc se torne um crítico "oficial" mesmo, já que capacidade vc tem pra valer.
Mas, que importa?

Nossa província é cruel, limitada e, além disso, o mistério, no seu caso, é um charme. E dá ibope. Não acha?

4:38 PM  
Blogger Alencastro said...

Sei não, Animma, sei não.

Mas, já que você tocou no assunto, me diga uma coisa - a tal pergunta que não quer calar: você é da Projeto ou da aU? Ou o mundo é maior que isso? Será que já conseguiu aquele emprego com o Galiano? Ai a coisa começa a melhorar...

Olha, se for para a AV, será um prazer aceitar um convite destes: melhor editor que o Galiano, talvez só o Boeri. Agora esse negócio - tipo celebridade - de mostrar a cara em revistas, não é comigo não!

E o quê eu ponho no currículo? Já imaginou a vergonha: "Figura controversa, Alencastro é formado na Universidade dos Blogs com mestrado em General Jardim e doutorado em Oscar...". Não dá, né?

5:01 PM  
Anonymous Annima said...

Nem de uma, nem de outra. Eu "flutuo" por aí...

6:22 PM  
Blogger Alencastro said...

Pô, annima: primeiro, você quis me comprar com uma cerveja; agora, quer me vender como pauta? Pensei que você fosse minha cupincha, ora!

6:32 PM  
Anonymous Anónimo said...

não sei onde o Alberto queria chegar, mas achei interessante a chamada.
Tenho um palpite simplório para estas semelhanças....

8:06 PM  
Blogger Fernando Zanforlin said...

...é preciso estar muito claro o que o acaso, barco sem rumo acaba encalhando ou batendo nas pedras.
ab.

11:29 PM  
Anonymous Annima said...

Bem que eu tentei, né?

Mas, para ser seu cupincha, só tomando de Chateau Lafitte para cima!

10:15 AM  
Anonymous Anônimo said...

pergunta nada a ver: porquie vc escreve "wall" e não "uau"?
homenagem à empena?

1:22 AM  
Blogger Alencastro said...

Você nunca leu Paulo Francis, Anônimo? Wall...

12:17 PM  
Anonymous Anônimo said...

alen-castro,

não entendi.
quer dizer que você se vê como crítico de arquitetura pelas palavras de Segre? é isso?

que tal você escrever sua postagem dizendo 'o que é crítica para Alencastro'?

seria uma boa maneira de sabermos de modo mais direto o que move alencas.
e aqui não vai nenhuma crítica, por enquanto.
mas te desafio a, não saindo pela tangente, como faz, dizer o que pensa sobre questão tão cara à seu blog.
eu, por exemplo, acho que você faz mais intriga que crítica. ainda que possamos encontrar lampejos de potencial crítica em seus posts.

e acho que intriga 'faz parte'. mas a elaboração, na intriga, é menor, não?
talvez seja mais do 'menos que é mais'...


anônimo 1º
(de vez em quando ele volta)

6:17 PM  
Blogger Alencastro said...

Quem é vivo...

Bom, anônimo 1°, é lógico que não faço crítica (e tenho horror a quem pensa que faz...). Como escrevi no post, "não vou engrossar essa polêmica com um monstro sagrado destes".

Se você quiser chamar de intriga, ok. Poderia, como disse o Alberto -parafraseando a D. Ruth- , ter um blog como o nome de "Fofocas Anônimas & Maledicências Gratuitas". Mas sou apenas um observador. Só isso.

6:30 PM  
Blogger Edson Mahfuz said...

oi alencastro,

obrigado por me poupar das suas observações irônicas. na minha idade, poderia ser fatal...

o pobre do montaner não sabe quanta gente ficou magoada por não estar naquela lista de críticos... daí algumas opiniões um pouco estranhas.

da minha parte, estou 100% contigo. não me vejo como crítico, mas como um arquiteto que observa, reflete, e que às vezes dá opiniões, quando solicitado. sem querer influenciar ninguém.

abraços.

12:49 PM  
Blogger Alencastro said...

Olha s� o Mahfuz a� gente! Mas n�o agrade�a n�o: voc� sabe como � n�o? Para os amigos, tudo...

1:02 PM  
Anonymous Rafael said...

Alen,

A crítica não padece apenas na questão da arquitetura. Considero que é um problema da sociedade.

Uma das principais formas de difusão dos pensamentos é a mídia, só que a função dela não é apenas criticar. Ela tem como fundamento informar.

Aí podemos entrar numa querela de que informação é dotada de crítica, que a objetividade do jornalismo é uma característica da subjetividade. Essa é uma perigosa e longa discussão.

Uma coisa é informar que uma exposição está ocorrendo, outra é criticá-la. São espaços diferentes que os meios de informações podem diferenciar ou não.

Agora, se não há "ibope" frente aos leitores, a seção deixa de existir. Claro que há também o aspecto de profissionais de jornalismo não especializados, ainda mais em arquitetura.

2:06 PM  
Anonymous Carlos said...

Olá Alencastro. Fico muito feliz por este ser o primeiro post q vejo do seu blog, e não resisti à tentação de participar da polêmica, que simplesmente adoro. É por vezes simples entender todos esses casos de 'mal-estar' causados por um 'espirro torto' q tenha saído 'acidentalmente' numa revista de arquitetura... De qualquer jeito, como podemos criticar 'donos da verdade'?? Egos inflados que se ofendem profundamente com qualquer coisa, com a mesma certeza de que a gravidade vai puxar qq coisa q eu solte no ar... Eu admito, estou simplificando absurdamente o caso, pois todos sabemos o suicídio profissional q um arquiteto pode causar por admitir ter falhado numa obra de milhões de reais. Sabemos o quanto dói dedicar-se à atividade crítica com esforço (sangue, suor e lágrimas, literalmente), por exemplo, e não ser lembrado... Por mais q estejamos falando de um ser-humano (o Montaner) sem memória de elefante. Tão humano quanto o arquiteto, q erra tantas e tantas vezes. Talvez algo q abunde na sociedade atual é essa ingenuidade de imaginar q todo profissional está formado, e não 'em formação'. E através dessa idéia ingênua, não admitimos o conceito de FALIBILIDADE, e também o de contínua evolução e melhoramento através de erros passados. Por que nós, arquitetos temos sempre aquela sensação de estar 'pisando em ovos' toda vez q queremos dar uma opinião sincera (por mais q talvez seja mal-fundamentada) a respeito de um projeto de algum 'figurão'???? Será q é assim tão difícil compreender q todo arquiteto é, antes de tudo, um ser humano e um profissional, e não o Ser Onisciente?? E que, portanto, críticas doloridas deveriam ser engolidas com MUITO mais naturalidade do que são?? Agora, em se falando de Brasil, fica difícil mesmo. Arquiteto nem mesmo é reconhecido por aquilo que ele estudou para se formar (o preconceito é: faz 'lugares bonitinhos' pra gente morar, comer, comprar, se divertir, etc), como poderia ser criticado de maneira honesta e séria numa sociedade q nem mesmo reconhece sua importância?? Não reconhece nem mesmo a importância do espaço de qualidade para que haja VIDA de qualidade!! Aí as cidades se tornam 'colchas de retalhos' de realidades desconexas, de sociedades fragmentadas, enquanto vemos 'arquitetos como todos deveriam ser' fazendo elefante branco atrás de elefante branco. Percebe a insanidade completa do panorama geral??

um abs, e parabéns pelo blog cara

7:31 PM  
Blogger Alencastro said...

Oi Carlos, seja bem-vindo.

O negócio é o seguinte: as discussões ocorrem sempre com o post fresco. Hoje é 8 de janeiro de 2009 e esse post é de abril de 2008. Ou seja, ninguém vai acompanhar esse papo além de você e eu. E assim fica sem graça. Se quiser participar, corra lá na frente e acompanhe os posts novos.

12:53 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home