15 junho 2007

Demolindo Koolhaas

Olha ai: se Koolhaas ainda não arrumou um crítico demolidor o bastante para destruír suas idéias, parece que elas estão caindo de podre. Segundo o jornal holandês NRC Handelsblad , a prefeitura de The Hage está considerando demolir o teatro de dança, primeiro grande projeto de Koolhaas, pois, depois de 20 anos, consome muito dinheiro em manutenção. Moral da história: é mais barato construir outro.

E ai, Koolhaas merece ou não merece ser demolido?

Marcadores: , , , ,

7 Comments:

Blogger Alexandre R. Grazzini said...

koolhass e sua arquitetura falam muito porque não tem nada a dizer, bota pra baixo!

7:50 PM  
Blogger luciano l. basso said...

se a moda pega no brasil vão faltar máquinas para demolir tantos prédios que exigem manutenção cara e complicada... algumas várias obras do velho mestre oscar seriam as primeiras...

2:42 AM  
Anonymous Alberto said...

So long, bye bye, farewell. Sou a favor de demolir tudo, até que provem contrário.

11:06 AM  
Blogger Alencastro said...

Sem dó, Grazzini?

1:04 PM  
Blogger Alencastro said...

Ô Luciano, já que você tocou neste ponto, deixa eu lhe contar uma coisa. Nos anos 90, o Condephaat soube que a fábrica Duchen - na via Dutra, aqui em São Paulo - iria ser demolida.

Os técnicos correram para tombar a obra, uma das únicas fábricas que ele projetou (fora a Ericsson em SJC, transformada em shopping, que era uma vergonha...). Tudo bem, como fábrica, a Duchen era uma lástima: sem flexibilidade nenhuma. Mas tinha algum interesse arquitetônico, pois era um partido não mais repetido por ele e que estava na origem dos pavilhões do Ibirapuera.

Eis que aparece o dono do imóvel, como uma carta de próprio punho, escrita pelo velho carioca, autorizando a demolir a obra...
Pode? Foi para o chão.

Agora, o ministro da cultura o procura para que ele possa escolher que obra dele deve ser tombada: ou seja, uma desmoralização completa dos homens do tombo...

1:14 PM  
Blogger Alencastro said...

Então tá: picaretas na mão e vamos todos para a FAU derrubar aquela espelunca...

1:18 PM  
Blogger Hugo said...

Descodo quando você diz que as idéias dele estão indo por água abaixo. O conceito que ele usou na obra está inserido numa época onde a sustentabilidade do projeto não era um ponto tão crucial como é hoje,e como você mesmo fala, foi o primeiro grande projeto: o primeiro em larga escala, e sendo um inovador, a tendência é sempre se ter um efeito colateral nas primeiras inovações.
As idéias dele não estão ruindo. E se disser isso, diga qual idéia, porque esse holandês não um arquiteto uniconceitual.

1:37 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home