31 maio 2007

Subindo nas paredes


Uma pergunta que não quer calar: por que será que os arquitetos estão revestindo paredes com materiais usados tradicionalmente em pisos?

Marcadores:

22 Comments:

Anonymous Alberto said...

Dãr. Só posso te responder "Porque não?"

7:19 PM  
Blogger Alencastro said...

Confessa vai, Alberto: você já usou mosaico português ou réguas de madeira?

7:28 PM  
Anonymous Anónimo said...

Quando é que vocês vão parar de encher o saco um do outro por causa desse assunto?
Para um o revestimento não cola, para o outro se não tiver revestimento o projeto não se descola!

7:56 PM  
Blogger Alencastro said...

Achei que ia demorar até alguém morder esta, mas imaginava que ia ser um tipo 'mundo casa cor'...

8:07 PM  
Anonymous Anónimo said...

Pare com isto Alencastro. Eles não estão nem aí para você.
Quem tem tempo de ficar escrevendo em blog? Principalmente agora em plena temporada das Casa cores...(ou seria Casas cor?)

8:13 PM  
Blogger GUGA ALAYON said...

è uma questão de ortogonalidade mental.

8:17 PM  
Blogger Alencastro said...

É lógico que não estão, anónimo - acho que eles nem sabem o que é um blog!

Mas o que eu acho curioso é como outros guetos arquitetônicos acabam usando a lógica novidadeira do ambiente 'casa cor'. Só falta isso contaminar o povo da General, heim? Se bem que, pensando bem, asfalto também não foi feito para 'revestir' o piso de uma sala, não é? O jogo fica no 1 x 1.

12:20 PM  
Blogger Alencastro said...

Como sempre, você tem razão Guga: acho que eles estão pensando como o lado de fora do cérebro!

12:36 PM  
Anonymous Alberto said...

Nem mosaico nem ripinha. Vou postar em breve um projeto recém-naugurado pra você ver como penso revestimento. mas nesse meio tempo, preciso reafirmar mais uma vez: não precisa ser um "casacor" pra propor revestimentos inusitados. De H&dM a OMA, há realmente muita pesquisa estética interessante sendo feita por aí. Mas claro, como você lembrou, há sempre uma justificativa para um asfalto na sala, uma trepadeira mofada no muro, um durocolor aqui e ali. Hipocrisia sem limites.

1:56 PM  
Blogger Alencastro said...

Vou esperar...

7:09 PM  
Anonymous Alberto said...

Já postei . Visitem lá: www.architecture.blogger.com.br . Podem ir lá xingar os revestimentos.

7:09 PM  
Anonymous Anónimo said...

Alberto, eu fui ver o projeto indicado, mas me frustei um pouco.
Nada contra seu projeto, mas é que nesta discussão não me pareceu ser exatamente o melhor exemplo para ser usado como parâmetro pró revestimento.

Assim você está se expondo demais!

Já falei em outro post que estou mais para a turma dos "puristas". Escrevo entre aspas, pois não demora e o nosso anfitrião dirá que de pura ele só gosta mesmo é da caninha!

Vc tem razão em citar alguns escritoriões, pois boa parte da arquitetura do sec. xx foi pautada na habilidade de utilização de repertórios. Conceituais ou materiais. Grande parte daquilo que se vê por aí é variação do mesmo tema. Ok. Tem coisa muito boa e arquitetos muito honestos.

O problema é quando chega um sujeito que faz uma casa com um brise de cordas de navios penduradas e, para muitos, parece que revolucionou alguma coisa. Sabe do que estou falando, né?

Aí o Alencastro tem razão.
Na nossa área, é muito tênue a linha que separa autores de atores.
Outro dia fiz uma alusão à música, farei outra. somente uns de nós são verdadeiros compositores, outros, no máximo, virtuoses. Excelentes intérpretes, mas "apenas" intérpretes.

Alberto, não se aporrinhe com o Alencastro que ele sim não passa de um baita dum corneteiro!

1:04 PM  
Anonymous Corneteiro said...

Ô anónimo, você lembrou bem: o Isay já fez coisa ruim, mas agora aquela casa com as cordinhas, acho que ganha o troféu!

1:55 PM  
Blogger GUGA ALAYON said...

cordinhas que saem em capa de revista. Funciona por aqui.

2:11 PM  
Anonymous Alberto said...

Tá. Mas vou explicitar o que eu acho disso enquanto método. Acho um estreitamento materialista achar que não se pode fazer experiências, só porque é o "dinheiro do cliente". Sem experiencias não haveriam farnsworth ( sem contar que a dona Edith morreu sem gostar da casa), não haveriam quebra de paradigmas. Se para dez experencias de corda/brise aparecer uma boa solução, para mim, tá pago. Senão fica todo mundo jogando pra granhar e daí sim vai ser um mundo de ripeiros x mundo dos concreteiros pra sempre. è preciso experimentar e é preciso se expor sim, qual o problema. Meu Deus, tem horas que vocês deixam transparecer uma insegurança! A cantina tem cêramica e vidro serigrafado laranja, sim. Eu não vejo problema nenhum em vocês acharem o que for. Para mim ( e graças a Deus, para os clientes) é uma solução boa.E estou sempre aberto a discutir. Arquiteto que tem medo de se expor devia procurar outra profissão. Porque sinceramente, não pensa como arquiteto.

3:51 PM  
Blogger Alencastro said...

Será que tem nêgo aí que tá roendo a corda...

4:09 PM  
Anonymous Anónimo said...

Ou será que tem nêgo enxergando um grande pavio?

5:28 PM  
Blogger Alencastro said...

Nada contra sua cantina, meu caro. Mas, sinceramente, espera uma aula de revestimentos... Achei tudo até discretinho demais!

Também, nada contra fazer experiências, mesmo por que, o dinheiro não é meu! O profissional que se entenda com o cliente que tem! Se você acha que assim vai mudar o mundo...

Agora - no alto de minha insegurança - "pensar como arquiteto", caro Alberto, eis um grande problema!

5:34 PM  
Anonymous Alberto said...

Aula? Tá louco? Não me proponho a certos concursos que deveria, que dizer de um de revestimento. Para mim, revestimento é ferramenta de trabalho,só. Se a imagem que passa, com essas cores, é discrição, melhor. A idéia foi essa mesmo, dizer que revestimento pode ser usado corretamente, não agrega valor a nada por si só. Parece obvio, mas então leiam o que vcs mesmo andaram escrevendo. A história da arquitetura pode praticamente se resumir a conjuntos de arquitetos|clientes que resolveram correr riscos. Tem muito pouco a ver com o que "eu acho". E por fim, se você não sabe o que quero dizer com "pensar como arquiteto", significa que você não acredita na profissão como um todo. Pra quem tem um blog de arquitetura...

7:27 PM  
Blogger Alencastro said...

"...eis um grande problema"

7:34 PM  
Blogger GUGA ALAYON said...

Eu gostei da solução 'limpa' da cantina, mas o que é aquela planta daquela 'coisa' acima? Achei 3 quartos de empregados pouco.ahaha. Que loucura.

11:43 AM  
Anonymous Alberto said...

Loucura é a regra, né. Valeu Guga, apareça sempre. E vocês todos também, seus folgazões.

12:58 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home