28 maio 2007

A sense of humor

O mais recente texto de Nicolai Ouroussoff no NYT - sobre o novo Instituto Holandês de Imagem e Som, criado pela dupla do escritório Neutelings Riedijk - ganhou versão em português no G1.

O prédio é envolto por vidros com imagens gravadas que, segundo o crítico, "travaram uma crítica séria de um mundo saturado por publicidade e imagens, e reafirmaram o valor heróico da arquitetura". Isso por quê, "a falta de clareza das imagens representa o bombardeio diário da internet, televisão, cinema e jornais, mas aqui parecem congeladas no tempo, como se estivessem temporariamente domadas". Será?

Ouroussoff, que compara o novo instituto à biblioteca de Gordon Bunshaft em Yale, escreve que "como muitos arquitetos, Neutelings e Riedijk lutam para chegar a um acordo com uma sociedade que está prestes a ser totalmente consumida pela publicidade global e as imagens de marketing. A arquitetura está, de modo mais disseminado do que se imagina, tornando-se uma ferramenta desses interesses".
Aproveitem: apesar de não trazer crédito ao crítico e mudar o título, mesmo para quem não gosta das opiniões de Ouroussoff, é uma rara oportunidade de lê-lo em nossa língua. Quando é que a Folha e o Estadão publicarão textos assim?

Marcadores: , , , , , ,

6 Comments:

Anonymous Alberto said...

Ah, calem a boca fellas. Deixem o prédio falar por si só. é muito mais sedutor que o discurso. Sociologismo barato ainda por cima. Até quando essa ditatura intelecutal modernista de ter de justificar cores, revestimentos,ou qualquer coisa que não seja branco/material natural. mas, belo prédio, e claro, matéria sem crédito é matéria roubada. Escrever que é NYT simplesmente é ridículo.

3:20 PM  
Blogger Alencastro said...

Mas Alberto: quem disse que essas baboseiras saíam da boca do crítico e não do arquiteto? Cadê o seu senso de humor?

6:32 PM  
Anonymous Alberto said...

Ah, eu sei que são eles, são sempre eles que falam besteira. Uma vez o nelson rodrigues disse que "o jovem, ou é um Rimbaud, ou é um imbecil". Os arquitetos também, ou são um Koolhaas, ou são uns cretinos que parecem ter sidos alfabetizados pela marilena chauí. Mas foi o que eu disse, o cara está numa posição que ele TEM que justificar cada detalhe da obra. Só pode dar nisso. Se o pollock estivesse vivo, seria interrogado sobre cada gota de tinta. O aquecimento global começou pelos miolos.

12:06 PM  
Blogger Alencastro said...

Aquecimento global? Hoje tá um frio danado...

12:12 PM  
Anonymous Anónimo said...

Caraca, como vcs são exigentes.
Acho que nenhum dos dois jogou bola na vida.
A descrição do gol que um cara fez sempre toma ares de epopéia quando narrado pelo próprio autor sob o fiozinho de água que cai do chuveiro elétrico.
Querem coisa melhor?

4:03 PM  
Anonymous Alberto said...

Imagina!! o cara faz um gol de bicicleta do meio do campo hoje em dia e diz ( não no chuveiro, mas na "sala de imprensa" ) que "o merito foi da equipe, e o importante é que o gol nos deu a vitória e os 3 pontos".

11:47 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home